Momento de caos

Digo que não ligo

Que quero que se dane

Mas tenho arrebatamentos

De raiva

E ganas de olhares

Cortantes.

Quero repreender

Intransigente

Quero que se arrependa

E retorne rastejante!

Passada a raiva

Indiferença se impõe

Não quero nada

Nem uma nota

Nem fofoca

Nem um olhar ausente.

Fervo por dentro

Mantenho a linha

Por fora.

Implodo

Acabo-me

E encerra-se a história.

Não há volta

Não há solução

Morreu!

Se vivo está

Mantenha-se

Distante.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s